147ª CONCENTRAÇÃO MGCP
13 A 15 SETEMBRO 2013 - VILA VIÇOSA

Com a mediação do nosso sócio Hélder Anão, nascido e criado nesta lindíssima terra, esta Concentração aconteceu no fim-de-semana de encerramento da Festa dos Capuchos de Vila Viçosa, comemorativa dos 150 anos desta tradição. Assim, houve a possibilidade de aproveitar algumas das atividades, como assistir ao concerto musical pelo quarteto Oboé Concórdia, no Panteão dos Duques de Bragança, e à prova de karting ou à largada de touros, na Praça da República.

No sábado, com um programa muito preenchido, fizeram-se as provas desportivas previstas, rumou-se à Quinta do Zambujeiro, em Rio de Moinhos, e almoçou-se no Restaurante Bêco, em Borba. A partir daí deu-se início ao passeio até Olivença, passando por Alandroal e Juromenha. Aqui chegados, havia quem nos aguardasse para uma visita guiada à imponente Fortaleza de Juromenha que domina este ponto de travessia do rio Guadiana.

Apontamento histórico – A ocupação do local remonta a Galo-celtas e a Romanos sendo que as primeiras muralhas foram erguidas em 44 A.C., por ordem de Júlio César. Foi mais tarde ocupada aquando da Invasão muçulmana da Península Ibérica. Na época da reconquista cristã da Península manteve-se por dois séculos como posto-avançado de defesa da cidade de Badajoz e desde o Séc. X permaneceu em mãos do Califado de Córdoba até 1167, data em que foi conquistada pelo rei D. Afonso Henriques. Foi palco de várias contendas fronteiriças e de várias reconstruções com melhorias defensivas a partir do reinado de D. Dinis, em 1312. Mas também foi vítima de vários acidentes que a foram debilitando, como aconteceu com o caso do rebentamento do paiol da pólvora, por altura da reconstrução de 1659, e o terramoto de 1755. Como se isto não bastasse, no início do séc. XX, a peste bubónica dizimou grande parte da sua população e a partir de 1920 verificou-se um completo despovoamento da Fortaleza. D. Dinis foi o primeiro monarca a conceder-lhe foral, posteriormente confirmado e renovado por D. João II e D. Manuel I, respetivamente. Como eventuais acontecimentos felizes, nela se realizaram os casamentos de Afonso IV de Portugal com Beatriz de Castela e de Afonso XI de Castela com Maria de Portugal. Em 1957 foi classificada como Imóvel de Interesse Público através do Decreto nº 41.191, de 18 de Julho. A intervalos, entre 1950 e 1996, foi tendo obras de consolidação, mas é no precário estado de conservação que exibe que aguarda, desde 2005, a aprovação de um projeto de requalificação para complexo hoteleiro, inscrito num programa mais vasto de turismo para a região.

No domingo, houve tempo livre para a visita ao Paço Ducal, ao Castelo da Vila e à igreja da N. Sr.ª da Conceição. O almoço servido no Restaurante da Mata, foi uma oferta da edilidade local, na pessoa do seu Presidente Sr. Eng.º Luís Caldeirinha Roma que ajudou no encerramento do evento ao fazer a entrega dos prémios de participação e ao distribuir uma lembrança cultural local.

PROVA DE PERÍCIA

Classe Sport
Classificação Nome sócio Modelo MG Tempo
Joaquim Preces Diniz B 15.53 Seg.
Manuel Veríssimo MIDGET 16.91
Isabel Tinoco B 17.19
Elísio Vasconcelos B GT 18.75
Joaquim Cardoso B 21.06
Francisco Forte B GT 21.53
José Gouveia Fonseca B 28.00
Classe Produção
Classificação Nome sócio Modelo MG Desvio
Tiago Silva TF 14.59 Seg.
Sara Dias TF 16.66
João Baguinho TF 17.47

PROVA DAS GARAGENS

Classe Sport
Classificação Nome sócio Modelo MG Tempo
Manuel veríssimo MIDGET 23.56 Seg.
Joaquim Cardoso B 26.38
Isabel Tinoco B 26.48
Elísio Vasconcelos B GT 30.12
José Gouveia Fonseca B 30.12
Francisco Forte B GT 33.25
Joaquim Preces Diniz B Desclassificado
Classe Produção
Classificação Nome sócio Modelo MG Tempo
Tiago Silva TF 19.75 Seg.
João Baguinho TF 22.65
Sara Dias TF 22.94

Ver imagens da concentração