FESTIVAL AUTOMÓVEL CLÁSSICO
15 A 17 SETEMBRO - GUARDA

Tal como aconteceu em 2002 e em 2009, o MGCP voltou à Guarda para participar no ”Festival Automóvel Clássico Guarda 2017”, organizado pelo Clube Escape Livre. Os restantes clubes convidados foram o Biscione Classic Clube (Alfa Romeo), o Clube Porsche Lehrenkrauscafé e o MHAS - Museo de Historia de la Automocion de Salamanca.

O programa atribuído ofereceu a oportunidade de, no sábado, se conhecerem coisas tão diversas como:

- O Pálio de Cidadelhe que, desde 1707, é tesouro secretamente guardado na casa dos habitantes desta pequena aldeia incluída no Património Mundial da Humanidade da UNESCO. Só sai à rua duas vezes por ano nas procissões da Páscoa e do Corpo de Deus, sendo precisos oito homens para o transportarem;

- O Museu Municipal de Pinhel que, criado em 1936, ganhou novas instalações em 2015 e nelas exibe testemunhos patrimoniais desde o período Paleolítico até à atualidade. Para além dos materiais arqueológicos do Prado Galego e a referência ao marco de Argomil, dedicado ao imperador César Augusto, evidencia a importância defensiva que o Castelo de Pinhel teve perante as investidas de Leão e Castela, nos finais do séc. XV. O núcleo de Arte Sacra é notável pela qualidade das peças expostas onde se destaca a coleção das Bandeiras dos Ofícios e o retábulo em pedra de Ançã da autoria do escultor francês João de Ruão, datado de 1537;

- A aldeia histórica de Castelo Rodrigo que, fundada por Afonso IX de Leão, passou para a coroa portuguesa no reinado de D. Dinis quando este assinou, em 1297, o Tratado de Alcanices. No tempo de Filipe II de Espanha foi entregue ao Governador Cristóvão de Moura que ali residiu num palácio de que só restam as ruínas depois de ter sido incendiado pela população, como ato de vingança assim que souberam da Restauração de Independência, em 1640. A pequena igreja matriz do séc. XIII, fundada pela confraria dos frades da N. Sr.ª de Rocamador, próxima ao grande Pelourinho Manuelino do séc. XVII, foi importante ponto de apoio aos peregrinos a caminho de Santiago de Compostela.

- A vila amuralhada de Almeida que foi pausa para um refresco de fim de tarde;

- A Feira Farta da Guarda que, na sua 3º edição, incentiva as 43 freguesias do concelho a levarem à cidade aquilo que de mais característico produzem.

No Domingo foi oferecida uma divertida visita guiada e encenada à Sé Catedral da Guarda com a especial e invulgar permissão da subida aos seus terraços para desfrutar de uma soberba vista panorâmica de 360o. O Sócio Manuel Morais e a sua mulher Mª de S. José foram notáveis cicerones. Enquanto isto, a passadeira vermelha estendida na Praça Luis de Camões aguardava pelo início do desfile.

O almoço de encerramento foi servido na Quinta de Santo António onde foram entregues lembranças a todas as equipas participantes e aos clubes presentes.

O Diretor do MHAS e o Presidente da Associação de Amigos deste museu também trouxeram “recuerdos” e palavras de convite à sua visita que, inaugurado pelos Reis de Espanha em 2002, alberga a coleção de mais de 100 viaturas reunidas, restauradas e conservadas por D. Demetrio Gómez Planche. O elevado número de automóveis em depósito permite “refrescar” a exposição permanente de modo que o visitante tem sempre novidades para apreciar.

Da consulta da recente publicação do livro “30 Anos de História do Clube Escape Livre (1986-2016)” I. Tinoco, Presidente da Direção do MGCP, apontou três pontos em que estes dois clubes se tocam:

  • Ambos foram pioneiros em Portugal. Um como monomarca e o outro como TT;
  • Ambos têm tido a colaboração dedicada de uma “Isabel”;
  • Ambos sinalizaram os seus 30 Anos de existência com a publicação de um livro comemorativo e foi com todo o gosto que o MGCP deixou o seu nas mãos de Luís Celínio Antunes, pessoa que muito preza.

Ver Galeria