160ª Concentração MGCP
10 JUNHO 2017 - Palmela

A uma hora de Lisboa fomos encontrá-lo na Rua dos Alegrias, zona rural de Arraiados, com o Castelo de Palmela vigilante no horizonte. Estranhámos a edificação. Entrámos e tudo mudou. Do despojamento exterior passámos para a riqueza, a diversidade e o pormenor em cada peça. São mais de 600. Foram descobertas, procuradas, adquiridas e reparadas ao longo de 30 anos. Em lugar de destaque lá está a primeira que foi adquirida em 1986. Todas funcionam e têm manutenção assegurada aos seus sistemas, exclusivamente, mecânicos. Alguém com espírito de colecionismo teve de aliviar a consciência pesada desde a infância, quando a curiosidade levou à destruição de uma “Ariston”. A partir de 2005, algumas cirandaram pelo País e deram-se a conhecer em exposições temporárias. Depois de uma espera de 6 anos, para que o desembaraço burocrático se desse, o projeto do arquiteto português Miguel Marcelino desenvolveu-se entre 2012 e 2015. Inovador e securitário, também ele se inspira naquelas que abriga. Abriu ao público em 04.10.2016. Para além da área expositiva possui uma sala documental, auditório, loja, cafetaria e uma sala multiusos que, no momento, exibia a exposição temporária, "Caricaturas no Museu", de Carlos Laranjeira.

O M.G.C.P. – MG Clube de Portugal não só foi o primeiro clube monomarca a surgir no País, como foi o primeiro a visitar o MMM - Museu da Música Mecânica. Fê-lo no mês em que o proprietário e colecionador, Dr. Luís Cangueiro, foi agraciado, pela edilidade de Palmela, com a Medalha Municipal de Mérito (grau Ouro) na área da Cultura, por ocasião da comemoração do Dia do Concelho de Palmela. E fê-lo no dia a seguir à receção dos 3 prémios atribuídos pela APOM – Associação Portuguesa de Museologia que, em cada ano, distingue o que de melhor se faz nos Museus Portugueses. Foram eles: uma Menção Honrosa para o colecionador; o de Coleção Visitável; e o de Melhor Website (www.museudamusicamecanica.com).

O MMM tem como missão o estudo, preservação, valorização, divulgação e fruição de uma coleção particular representativa da música mecânica, decorrente sobretudo entre os finais do séc. XIX até à década de 30 do séc. XX.”

Está a cumpri-la muito bem e de um modo surpreendente. Parabéns!

Depois de almoço e logo ali tão perto fizeram-se 2 provas nas instalações do KIP- Kartódromo Internacional de Palmela graças ao apoio dado por Ana Barroso.

Muito obrigado. Voltaremos!

Para finalizar a jornada e em plena época de “Mercado Caramelo” impunha-se dar a conhecer a sopa que lhe dá o nome. Remonta aos séc. XVIII / XIX altura em que as grandes herdades agrícolas locais como a de Rio Frio contratavam, sazonalmente, trabalhadores rurais que vinham da Beira Litoral e do Baixo Mondego. Muitos por ali ficaram e com eles a “Sopa Caramela”.

Classificações:

  • Perícia I
Nome do Sócio Modelo MG Tempo (seg.) Classificação Final
CLASSE SPORT
Armando Valle Féria B GT 44.40
Joaquim Preces Diniz B 44.60
Isabel Tinoco B 45.50
Olli Puurtinen A 45.53
Abílio Antunes B GT 47.50
Victor Saraiva B 49.00
Joaquim Cardoso B 49.27
J. Saldanha Mendes B 49.90
Domingos Faria B 56.78
Carlos Ribeiro B 56.81 10º
Francisco Forte B GT 1.03.78 11º
Nuno Gonçalves B GT 53.20 Não Sócio
CLASSE PRODUÇÃO
J. Silva Carvalho F 43.69
Tito Silva F 44.06
Celestino Guerreiro F 46.26
Alberto Vale Rêgo TF 49.56
Mário Cruz F 51.93
Eduardo Silvestre F Não participou
  • Perícia II

Nome do Sócio Modelo MG Desvio Tempo (seg.) Classificação Final
CLASSE SPORT
J. Saldanha Mendes B 0.25
Abílio Antunes B GT 0.26
Joaquim Preces Diniz B 0.34
Isabel Tinoco B 0.37
Olli Puurtinen A 0.52
Victor Saraiva B 0.74
Francisco Forte B GT 0.81
Carlos Ribeiro B 1.65
Joaquim Cardoso B 2.33
Armando Valle Féria B GT 6.38 10º
Domingos Faria B Desclassificado
Nuno Gonçalves B GT 0.30 Não Sócio
CLASSE PRODUÇÃO
Tito Silva F 0.16
Mário Cruz F 0.48
Celestino Guerreiro F 0.66
J. Silva Carvalho F 1.17
Alberto Vale Rêgo TF 1.43
Eduardo Silvestre F Não participou


Ver Galeria